segunda-feira, 11 de setembro de 2017

PARABÉNS ÀS EQUIPES DA OBG!

As três equipes do IFPR campus Londrina receberão medalhas pela participação na Olimpíada Brasileira de Geografia (OBG) 2017! Das 95 equipes paranaenses, as equipes do IFPR Londrina ficaram em 5º, 9º e 11º lugar! As equipes e @s estudantes são:

5º lugar, prata - Intemperismo Físico: Guilherme Akira Demenech Mori (2ºTINFEM), Gustavo Palote da Silva Martins (3ºBIOTEC) e Lorraine Fernanda Beltrane (1ºBIOTEC).

9º lugar, bronze - IFian Geographic: Daniel Felipe Piva dos Santos, Fernanda Landin da Silva e Maria Beatriz Acioli Silva (tod@s do 2º BIOTEC).

11º lugar, bronze - Geografetos: Bruno Ryosuke Sakamoto, Caio Felipe da Silva Evangelista e Flávio Garcia de Araújo Moreira (todos do 1ºTINFEM).

Parabéns a tod@s @s participantes!

terça-feira, 29 de agosto de 2017

SOFTWARE E APP DE PLANETÁRIOS

Indicação de um software e um app de planetário. O software Stellarium foi utilizado nas aulas do primeiro ano para trabalhar orientação a partir do Cruzeiro do Sul. Indicados para quem gosta de Astronomia! Clique nos links para baixar e instalar. 

É um planetário de código aberto para o seu computador. Ele mostra um céu realista em três dimensões igual ao que se vê a olho nu, com binóculos ou telescópio. Ele também tem sido usado em projetores de planetários. Basta ajustar as coordenadas geográficas e começar a observar o céu!

O Sky Map é um planetário portátil para o seu dispositivo Android. Use-o para identificar estrelas, planetas, nebulosas e muito mais.

Também, existem diversas outras opções gratuitas! Faça uma busca!

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

NOVO ARTIGO PUBLICADO

Artigo O INTERESSE DOS GEÓGRAFOS PELOS SONS: ALINHAMENTO TEÓRICO METODOLÓGICO PARA ESTUDOS DAS PAISAGENS SONORAS publicado na Revista Ra'e Ga (qualis A2) do Departamento de Geografia da UFPR, v.40, ago/2017. 


Resumo
A elaboração deste artigo objetivou o alinhamento teórico e metodológico de diferentes autores que contribuem para os estudos das experiências dos espaços e da paisagem sonora. Para tanto, adotou-se a perspectiva humanista da geografia fundamentada, sobretudo, em ideias de Maurice Merleau-Ponty. O método utilizado para sua elaboração foi de revisão narrativa de literatura, o qual não esgotou as fontes de informações e submeteu a interpretação das mesmas à subjetividade do autor. Os resultados revelam a possibilidade do estudo do mundo sonoro a partir de suas experiências individuais, o que perpassa a percepção dos espaços acústicos até a conformação de um mundo vivido. A percepção converte os objetos sonoros em eventos / signos o que, juntamente com a intersubjetividade, resulta na paisagem sonora. Além de signos, esses eventos podem ser compreendidos como sinais, símbolos, ruídos e sons fundamentais, que juntos caracterizam e dão identidades aos lugares. Assim, a paisagem sonora pode ser definida como uma formação mental intencional construída a partir da relação corporal do indivíduo com o mundo sonoro objetivo e com o outro. Ao tratar da experiência espacial, considera-se a escala no nível da percepção dos fenômenos sonoros nos locais, o que favorece o desenvolvimento de diferentes técnicas de coleta de informações em campo, tais como as caminhadas sonoras, as gravações, a elaboração de mapas sonoros pessoais e a posterior organização de catálogos de sons e de preferências sonoras.

Palavras-chave: Geografia humanista; Fenomenologia; Percepção; Paisagem



quarta-feira, 9 de agosto de 2017

À beira da estrada, a pobreza se esconde e o crime prospera

Matéria interessante sobre as desigualdades e segregações das cidades brasileiras. Leitura recomendada, principalmente, para os estudantes do 3º ano da Biotec. a respeito do projeto de quinta-feira. 


Leia também outras matérias da série Um mundo de muros: as barreiras que nos dividem

1ª FASE DA OLIMPÍADA DE GEOGRAFIA

Alguns dos estudantes do IFPR  Londrina que realizaram a primeira fase da competição geográfica no dia 9 de agosto de 2017.